Remédios para emagrecer é um dos medicamentos mais procurados do mundo por uma razão muito simples, a maioria das pessoas não querem emagrecer por conta própria e muitas se esforçam em fazer dietas e exercícios, mas não conseguem chegar o peso ideal. A obesidade  é uma doença que afeta milhares de pessoas no mundo inteiro e seu número cresce a cada dia.

Muitas pessoas pensam que para emagrecer e só fechar a boca, outros tem a imagem do gordinho como sendo alguém preguiçoso e desleixado, aquele que não emagrece porque não quer, ou porque não tem força de vontade.

A verdade não é bem assim, quando você já começa ter problemas de saúde e fazer dieta não traz mais resultado, então remédios para emagrecer pode ser uma solução para o seu caso. Agora veja as dúvidas mais frequentes sobre os remédios para emagrecer.

Quem tem a indicação em fazer uso dos remédios para emagrecer?

Os remédios para emagrecer são indicados justamente para as pessoas que não tem sido capazes de perder peso com dieta e exercícios e, ainda, que seu índice de massa corporal (IMC) seja maior do que 30, ou que seu IMC seja superior a 27, mas que você tenha um problema médico sério relacionado à obesidade, como diabetes ou pressão arterial elevada.

O médico deverá avaliar seu histórico clínico, isso inclui quaisquer alergias ou outras condições que você tem; medicamentos ou suplementos que você toma (mesmo que sejam de ervas ou natural); e se você estiver grávida, amamentando ou planejando engravidar em breve.

Como os remédios emagrecedores funcionam?

A prescrição dos medicamentos para o emagrecer trabalham de três maneiras.  Por exemplo, alguns medicamentos podem ajudá-lo a sentir menos fome (Anfepramona, Mazindol e Femproporex), ou pode lhe dar a sensação de saciedade (Sibutramina e o Rimonabanto). Outros podem tornar difícil para o seu corpo absorver gordura dos alimentos que você come (Xenical).

Quais são os benefícios do uso de remédios para emagrecer?

Faz-se necessário, não só o uso do medicamento, mas a melhoria na qualidade de vida, que inclui uma dieta saudável com baixa ingestão calórica e exercícios físicos regulares. Neste caso, com o uso de remédio para emagrecer, espera-se uma perda de peso média de 5 a 10% do peso total do corpo dentro de um ano, que é um objetivo típico de perda de peso.

Perder de 5 a 10% do seu peso total pode não parecer muito, mas pode contribuir muito com a sua saúde como:

  • diminuir a pressão arterial,
  • diminuir os níveis de lipídios,
  • diminuir os níveis de glicose no sangue,
  • aumento da sensibilidade à insulina.

Por quanto tempo devo tomar medicamento para emagrecer?

Só com o tratamento médico e seu devido acompanhamento que saberá por quanto tempo e o mais importante, como deverá ocorrer a retirada desse medicamento.

Muitas vezes, esse tipo de medicação, não pode ser retirada abruptamente, mas sim de forma moderada.

Quando parar de tomar o remédio para emagrecer eu posso recuperar o peso?

Isso pode ocorrer. Acontece que muitas pessoas só utilizam o remédio para emagrecer, mas não utilizam a oportunidade de tê-lo como auxílio para uma mudança de hábitos alimentares e de qualidade de vida.

O paciente deverá manter hábitos de vida saudável após a descontinuidade da medicação.

Quais são os riscos dos remédios para emagrecer?

A obesidade é uma condição que afeta milhares de pessoas e coloca suas vidas em risco, porém existe uma grande possibilidade que seus efeitos colaterais superem os benefícios. O uso dos remédios para emagrecer causa mais prejuízos do que benefícios ao corpo. Dentre os perigos pode-se citar o efeito sanfona e os efeitos  colaterais indesejados.

Por esse motivo que deve se estabelecer regras rígidas apar o uso dessa medicação para emagrecer. Nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo, a Sibutramina está proibida devido a relação de doenças cardíacas e derrame.

A Anvisa, em 2011, chegou a suspender a venda desse medicamento. No Brasil, mesmo havendo subnotificação, os medicamentos ocupam a primeira posição entre os agentes que mais causam intoxicações (Bortoletto & Bochner, 1999). A ocorrência de reações adversas a medicamentos atinge cerca de 30% dos pacientes hospitalizados, sendo que até 21% dos casos de morte hospitalar podem estar relacionados a elas (Oliveira, 1998).

Por isso, tendo indicação médica para o uso do remédio para emagrecer, converse com o seu médico detalhadamente sobre os riscos e efeitos colaterais, não esconda nada sobre seu histórico clínico. Cabe o medico decidir se você deve além da dieta tomar algum medicamento, pois o mesmo não pode ser tomado sem prescrição médica.

Remédio para emagrecer não é uma solução fácil para perda de peso, envolve riscos, mas pode, com certeza, ser uma ferramenta útil para ajudá-lo a fazer dieta, com um estilo de vida necessário para essa mudança.